Principais problemas da coluna vertebral

• Cifose: é também um desvio da coluna, mais facilmente percebido quando a pessoa está de lado, pois as costas ficam arqueadas, o tórax retraído e os ombros projetados para a frente;

• Lordose: desvio da coluna característico na região da bacia, causando uma curvatura exagerada no local;

• Hérnia do disco intervertebral: a parte mais central do disco, que se localiza entre as vértebras, sai da estrutura da coluna, causando dores muito fortes e até mesmo paralisação dos movimentos;

• Artrose: conhecida como bico-de-papagaio, é causada pelo atrito entre as vértebras. Depois de algum tempo, surge uma espécie de calcificação, que pode comprimir alguns vasos sangüíneos ou nervos.

• Escoliose: a coluna se desvia para o lado, passando a apresentar uma deformidade; surge por causa da má postura, ao se usar por tempo prolongado um só lado do corpo.

 

 

1 - A NATAÇÃO É SEMPRE BENÉFICA PARA DORES DE COLUNA?

Resposta - Não. Normalmente a natação não está entre as atividades físicas recomendadas para aliviar dores de coluna. Ela promove uma rotação das vértebras o que pode agravar lesões de algumas estruturas da coluna como os discos intervertebrais e ligamentos. O risco é maior quando se pratica o nado clássico e borboleta. Existem situações em que ela é indicada, como em casos de deformidades posturais (dorso curvo). Não se deve contra indicar nado livre para pacientes que sentem benefícios e não se queixam de dores com a sua prática regular. No entanto, deve-se alertá-los para não deixar de fazer alongamento antes de entrar na água. Esses exercícios, podem ser úteis na prevenção de dor, principalmente a lombar.

2 - EXERCÍCIOS SÃO PREJUDICIAIS E AUMENTAM AS DORES NAS COSTAS?

Resposta - É um engano pensar assim. Os exercícios só fazem mal quando não forem apropriados e orientados. Uma pessoa com lombalgia jamais deverá praticar atividades que exijam força, como levantar pesos durante a aula de musculação, sem apoiar corretamente a coluna lombar. O risco é deflagrar uma crise grave e até imobilizante. Mas há muitas outras atividades que podem ajudar a aliviar as dores. Os exercícios de alongamento, associados a outros que reforcem a musculatura abdominal, são os mais indicados. Outros tipos servem para corrigir a postura. Quem se senta curvado para frente, por exemplo, é estimulado a alongar os músculos peitorais e reforçar os dorsais para deixar a coluna mais ereta. Exercícios dentro da água (hidroginástica) diminuem a ação da gravidade e a pressão sobre a coluna, o que é uma ação bem-vinda.


3 - QUANDO SE TEM DOR NAS COSTAS, A MELHOR ATITUDE É FICAR NA CAMA, EM REPOUSO?

Resposta - Errado. Hoje em dia os conceitos mudaram. Um doente com crise de hérnia de disco ou torção de coluna, por exemplo, é estimulado a andar após dois ou três dias de repouso. Um curto período na cama pode aliviar a dor, enquanto permanecer em repouso por tempo prolongado favorece o enfraquecimento da musculatura da coluna. Com o tempo, a falta de atividade física prejudica a estabilidade da coluna porque os músculos e outras estruturas perdem a sua tonicidade. É como se o mastro de um veleiro ficasse com as suas cordoalhas frouxas e, por causa disso, começasse a balançar. Manter uma atividade física regular é uma das principais dicas para manutenção da saúde da coluna.

4 - A HÉRNIA DE DISCO LOMBAR É UMA DOENÇA GRAVE? A CIRURGIA FAZ PARTE DO TRATAMENTO?

Resposta - Não. A hérnia de disco é uma situação freqüente que pode existir em indivíduos que inclusive nunca apresentaram sintomas. Na grande maioria dos casos, ela não traz nenhum tipo de complicação. Quando ela provoca uma dor na coluna com irradiação para a perna, conhecida como ciática, em cerca de 95% dos casos a cura se dá apenas com um tratamento clínico bem conduzido. Isso acontece devido a uma tendência natural do organismo em absorver o fragmento do disco intervertebral que causa os sintomas, o que ocorre num período entre quatro e cinco meses. Além disso, o núcleo gelatinoso do disco perde água, o que resulta na redução do seu volume, diminuindo a pressão sobre o nervo. É como uma ameixa fresca que, com o passar do tempo, fica seca e tem seu volume reduzido. Pouquíssimos casos de hérnia na região lombar têm indicação cirúrgica (menos de 5%). Geralmente, ocorre em pacientes que não responderam bem ao tratamento clínico por um período mínimo de seis a oito semanas ou se encontram em quadros emergenciais, como a síndrome de compressão da cauda eqüina (responsável pelo descontrole do esfíncter urinário e ou retal e adormecimento do períneo), ou em situações de dor incontrolável, com repercussões neurológicas.

5 - E A HÉRNIA DE DISCO NA COLUNA CERVICAL? É FREQÜENTE?

Resposta - Sim. Sua ocorrência é comum, sendo encontrada em pessoas que nunca apresentaram sintomas. Infelizmente, ao ser identificada em um exame de imagem, atribui-se a ela a responsabilidade pela dor no pescoço, quando na maioria das vezes a causa é outra, como os estados de ansiedade, o bruxismo e problemas posturais, entre outras situações. Quando é de fato responsável pela dor, seu tratamento é clínico na esmagadora maioria dos casos. Não mais do que 0,5% dos casos, têm indicações cirúrgicas, em situações específicas.

6 - A TRAÇÃO É AINDA É USADA NO TRATAMENTO DA HÉRNIA DE DISCO?

Resposta - Isso faz parte do passado. Os melhores centros para tratamento da hérnia de disco não adotam mais esse método, que se propõe a alongar a coluna com a ajuda de um aparelho. Além disso, sua eficácia nunca foi comprovada cientificamente.

7 - A OSTEOPOROSE PROVOCA DOR NAS COSTAS?

Resposta - Não. Essa doença, caracterizada pelo enfraquecimento da massa óssea, não causa dor, o que de certa forma permite que ela progrida sem que os pacientes percebam. Por isso, as mulheres após a menopausa ou as que apresentam outros fatores de risco em qualquer idade devem ter acompanhamento médico. A mesma orientação é dada para os homens após os 50 anos (a partir dessa faixa etária, uns em cada oito homens podem desenvolver a doença). Os dois grupos devem realizar exames periódicos para prevenção e tratamento (densitometria óssea, entre outros). A osteoporose só vai provocar dores nas costas quando ocorrerem micro-faturas ou fraturas dos corpos vertebrais.


8 - TODOS OS PACIENTES DEVEM FAZER RADIOGRAFIAS DA COLUNA VERTEBRAL?

Resposta - Não. A etapa mais importante no atendimento dos indivíduos com dores nas costas é o levantamento da história do paciente, seus antecedentes e o exame físico geral e específico. A radiografia simples (raios-X) é dispensável como o primeiro recurso de diagnóstico. Mas se depois de trinta dias não houver melhora, ela deve ser solicitada, assim como nas situações em que a história sugerir sua necessidade já na primeira consulta. Esse exame pode ser útil para identificar pinçamento discais, bicos de papagaio, desvios ou lesões ósseas.

 

 

 

9 - O QUE É O BICO DE PAPAGAIO?ELE DÁ DOR NA COLUNA?

Resposta - O bico de papagaio é o nome popular de uma ossificação, chamada osteófitos, resultante de uma reação do osso a uma degeneração do disco. Recebeu esse nome porque, pois, ao raio-X, a imagem aparece com a forma de um bico de papagaio. E, dependendo do seu tamanho, assemelha-se a um bico de tucano. Na grande maioria dos casos, é um achado casual do raio-X, não apresentando sintomas. Não existe qualquer relação entre tamanho e número de bicos de papagaio com a idade do paciente e sintomas. Dependendo de sua localização anatômica, pode apresentar dor, como quando aparece no forame vertebral, irritando o nervo. O forame é o túnel que liga o estojo ósseo que contém a medula espinhal à parte externa da coluna.


10 - OS COLETES SERVEM PARA MELHORAR A POSTURA?

Resposta - Não. Os coletes, chamados na linguagem médica de órteses, são de vários tipos e tamanhos. Eles não melhoram a postura. São utilizados basicamente para prevenir a evolução de deformidades ou em outras situações específicas nas quais a coluna precisa permanecer em repouso. Na maioria dos casos, são usados temporariamente. E atenção, os coletes não favorecem ou protegem a coluna quando se levantam objetos mais pesados. Entretanto, existem coletes leves, parecidos com uma cinta do tipo suspensório, conhecidos como posturetes, que podem ser utilizados para lembrar os indivíduos de que devem manter a postura correta em situações rotineiras. São indicados principalmente para jovens e pessoas que trabalham em posições nas quais a coluna se dobra para frente.

11 - AS MASSAGENS SÃO ÚTEIS PARA ELIMINAR DORES E MAL-ESTAR? COLOCAM A COLUNA NO LUGAR?

Resposta - Este é um tema delicado e interessante. As massagens nas costas podem aliviar momentaneamente as dores. O estímulo manual provoca a liberação de substâncias analgésicas (endorfinas), levando ao alívio da dor e relaxamento muscular. Obviamente, porém, as massagens não colocam a coluna no lugar e tampouco resolvem os problemas de forma definitiva. Podem, inclusive, agravá-los se forem aplicadas por pessoas sem conhecimento sobre a doença a ser tratada ou sem habilitação necessária.


12 - A OBESIDADE PODE COMPLICAR AS DORES NAS COSTAS?

Resposta - Sim. Estar com excesso de peso pode contribuir para a sua piora e ser um fator de risco para o desencadeamento da dor da coluna. Especialmente na região abdominal, o excesso de gordura desloca o centro de gravidade para frente, sobrecarregando a musculatura das costas. Entretanto, indivíduos magros não estão livres de apresentarem dor na coluna, o que é observado com freqüência.

13 - A MÁ POSTURA PODE CAUSAR PROBLEMAS NA COLUNA?

Resposta - Sim. A má postura agrava a dor da coluna. Sentar ereto ou ficar em pé, com apoio igual em ambos os membros, utilizando a musculatura abdominal, promove diminuição de carga sobre a musculatura das costas. Mas se você, ao contrário, sentar em poltronas fundas, fazer a sua lição de casa dobrada sobre a mesa ou se posicionar no computador de modo errado, será um forte candidato à dor nas costas.

14 - DORMIR NO CHÃO FAZ BEM PARA AS COSTAS?

Resposta - Não. Esta é uma idéia completamente errada e pode inclusive agravar as dores. Isso porque a rigidez do chão ou de um colchão duro poderá acentuar a contratura muscular do paciente. Durante a crise, o repouso deve ser feito no próprio colchão. Uma das posições mais confortáveis é deitar-se de lado, com as pernas dobradas colocando um travesseiro entre elas.

15 - COMO PROTEGER MINHA COLUNA PARA CARREGAR OBJETOS PESADOS?

Resposta - Para levantar pesos do chão, não se deve envergar a coluna como se ela fosse a letra u. A coluna não é uma alavanca ou um pé de cabra para levantar a tampa de um bueiro. O certo é flexionar os joelhos e agachar-se. O passo seguinte é apoiar o corpo em um dos joelhos para aproximar o objeto do tronco e levantar-se. A sustentação do peso deve estar distribuída entre os braços e as pernas, jamais nas costas. Também pode ser mais seguro empurrar objetos pesados, pois o peso corporal auxilia esse deslocamento.

16 - CRIANÇAS PODEM SENTIR DORES NAS COSTAS DURANTE O CRESCIMENTO?

Resposta - Não. É um engano relacionar as dores nas costas das crianças ao período de crescimento. Ninguém precisa ter dor para crescer. Por isso, a presença desse sintoma deve ser entendida como sinal de alerta e merecer atenção e cuidados necessários. Existe a possibilidade de haver dores musculares relacionadas ao excesso de atividade esportiva ou ao excesso de peso das mochilas escolares apoiadas na coluna dorsal. Não se deve deixar de também de descartar as chances de outras doenças, como processos infecciosos e reumáticos.

17 - SUBIR MORROS OU LADEIRAS PODE DESENCADEAR PROBLEMAS NA COLUNA?

Resposta - Sim. Existe de fato uma relação entre subir ladeiras ou escalar morros e a possibilidade de ter distúrbios da coluna. Deve-se evitar fazer o esforço levando pacotes ou sacolas, pois, podem, aumentar a sobrecarga.

18 - PESSOAS QUE TRABALHAMPOR MUITO TEMPO SENTADAS TÊM MAIOR PROPENSÃO ÀS DORES NAS COSTAS?

Resposta - Sim. O ato de sentar muda a distribuição do peso corporal, que passa a se concentrar mais na porção inferior da coluna. Além disso, o esforço é maior do que quando estamos em pé. Quando o corpo se inclina para frente, a pressão sobre os discos aumenta ainda mais. Nessa posição, a musculatura do abdômen também fica mais relaxada e deixa de interferir na sustentação da coluna. Assim, todo o trabalho fica para os músculos das costas que ficam atrás das vértebras. Isso explica também a necessidade de sentar-se com a coluna reta para não forçá-la tanto. É aconselhável, quando possível, se levantar da cadeira a cada 30 minutos, em qualquer atividade, incluindo as recreativas, como jogar cartas.

 

 

19 - COLCHÕES MAGNÉTICOS OU ORTOPÉDICOS MELHORAM AS DORES NAS COSTAS?

Resposta- Não. Até hoje, não existe qualquer evidência científica. Trata-se apenas de um procedimento comercial que pode resultar em propaganda enganosa.

20 - USAR SALTO ALTO PREJUDICA A COLUNA?

Resposta - Sim. Embora a elegância feminina peça salto alto, não abuse demais deste tipo de calçado. Saltos acima de 4 centímetros podem fazer mal à coluna se usados diariamente. Eles aumentam a lordose lombar, forçando as articulações posteriores, causando sobrecargas. Mas é claro que eles estão liberados para serem usados numa festa ou recepção.


21 - O DESCONTENTAMENTO COM O AMBIENTE DE TRABALHO OU COM A PROFISSÃO ESCOLHIDA PODE DAR DOR NAS COSTAS?

Resposta - Sim. Hoje, é sabido que os fatores psicosociais são mais importantes no processo de desencadeamento e manutenção de dores crônicas. Por isso, um ambiente de trabalho agradável, respeitoso, e com boas condições físicas ou trabalhar naquilo que se gosta, promovendo satisfação, é fundamental e essencial para o ser humano e a saúde das costas.

22 - O BRUXISMO PODE CAUSAR TORCICOLOS E DOR NO PESCOÇO?

Resposta - Sim. O bruxismo, ou seja, retesar os dentes, pode promover uma disfunção da articulação temporomandibular. O problema pode ser causa de dor no pescoço, na cabeça, barulho no ouvido e alterações de humor.

23 - SEMPRE QUE HOUVER DOR NAS COSTAS, A COLUNA É RESPONSÁVEL?

Resposta - Não. Existem doenças que se desenvolvem nas imediações da coluna e que cujos sintomas se manifestam na espinha. Entre elas, estão a ocorrência de pedra nos rins, divertículos intestinais perfurados, aneurisma (dilatação) da aorta e úlceras duodenais perfuradas na cabeça do pâncreas.

24 - PROBLEMAS NO PESCOÇO PODEM SER CAUSA DE DOR DE CABEÇA?

Resposta - Sim. Até aproximadamente 35% das dores de cabeça são causadas por problemas na coluna cervical. Assim sendo, na busca das origens da dor de cabeça, deve-se investigar a existência de distúrbios na região cervical.

25 — O CICLO MENSTRUAL, ATIVIDADE SEXUAL E AS SITUAÇÕES COTIDIANAS VIVIDAS PELA MULHER PODEM CAUSAR DOR NAS COSTAS?

Resposta - Sim. Por várias razões. Muitas mulheres, ao ovular ou durante o período pré-menstrual, se queixam de dor nas costas. Doenças sexualmente transmissíveis, como a provocada pela Chlamydia tracomatis, também podem ter sintomas de dor. Experiências estressantes ou desagradáveis às vezes resultam em dor.

Reflexões sobre problemas na coluna

 

29/04/2008

Mais de 54 milhões de brasileiros têm problemas na coluna.

Um terço da população brasileira tem algum problema de coluna. Ou seja, cerca de 54 milhões de pessoas sentem dores persistentes na maioria das vezes em conseqüência de doenças crônico-degenerativa (fonte: Agência Brasil).  No ranking das doenças relacionadas à coluna a mais freqüente é a lombalgia. Conhecida popularmente como dor nas costas,  ocupa o primeiro posto e é responsável por 40% das dores reconhecidas como crônicas.  Em segundo lugar aparece a dor de cabeça, ou cefaléia, com 20%. As dores nas articulações (reumatológicas) ficam com 10%. O quarto lugar é ocupado por problemas no sistema ósseo-muscular, responsável por 7% das queixas. As dores ligadas ao câncer são responsáveis por 5% dos casos. As contas não fecham em 100% porque há um número grande de pessoas acometidas por mais de um tipo de dor.

Remédios não faltam no balcão das farmácias, mas será que o caminho é mascarar a dor e recorrer a medicamentos durante as crises? Segundo o quiropraxista Jason Gilbert, essa alternativa não é a mais indicada, pois o problema deve ser tratado na raiz, ou seja a coluna precisa de um tratamento específico e a quiropraxia é a indicação certeira. 

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a quiropraxia dedica-se a prevenção, diagnóstico e tratamento de disfunções do sistema neuro–músculo–esquelético, ou seja, de problemas nas articulações, músculos, tendões, nervos e outras estruturas e de seus efeitos sobre o sistema nervoso e a saúde em geral. Ela resolve problemas sem cirurgia ou medicamentos, através de vários métodos terapêuticos, em especial a manipulação ou ajustamento articular.

É bastante utilizada para qualquer tipo de dores e tensões musculares, como as lesões por esforços repetitivos (LER), em restrições a movimentos, e ainda evita a osteoartrose, doença comum nas articulações. Após um ajuste bem realizado observa-se a redução da dor, melhora no movimento e redução da tensão muscular.

Testada e aprovada por muitos famosos – entre eles, Mel Gibson, Arnold Schwarzenegger, Richard Gere, Vítor Belfort, Robert Scheidt, Nando Reis e os rapazes da banda Jota Quest –, a quiropraxia ajuda a evitar problemas previsíveis, minimizar a dor, manter a boa função da coluna e do corpo e a economizar dinheiro com futuros problemas de saúde.

Reconhecida pela OMS, a quiropraxia é a terceira maior profissão na área da saúde no mundo. Atualmente há 90 mil quiropraxistas em todo o mundo. Nos EUA e Canadá aproximadamente 1/3 das pessoas que sofrem dores ou problemas da coluna vertebral consultam um quiropraxista, e existem por lá mais de 60 mil profissionais. Para ser um quiropraxista é necessário ser graduado. No Brasil já existem faculdades que oferecem este curso.

 

Principais problemas que podem ser resolvidos ou amenizados com a Quiropraxia:
 
* Bruxismo

* Bursite

* Cólicas menstruais
 
* Dor ciática
 
* Dor de cabeça
 
* Dores nas articulações
 
* Estresse
 
* Hérnia de disco
 
* Labirintite / tontura
 
* LER (lesões por esforços repetitivos)
 
* Lombalgia
 
* Torcicolo / rigidez no pescoço
 
* TPM
 
* Zumbido no ouvido

 

Fonte

Dr. Jason Gilbert nasceu e se formou em Sydney (Austrália). Bacharel em Ciências Médicas e mestre em Quiropraxia, Jason tem clínica na cidade de São Paulo (na Vila Olímpia, no Tatuapé e na Av. Paulista),  em São Bernardo do Campo (SP), em Campinas (SP) e em Lima, no Peru. É representante mundial do Brasil e do Peru nos congressos da Associação Mundial de Quiropraxia.
(11) 3845-4115

Publicado em Saúde